domingo, 13 de abril de 2008

Outro cavalo sem nome

Às vezes bater dói muito mais do que apanhar.

Toda essa Odisséia pra chegar até aqui, agora é que eu não vou desistir!

Nunca responda “Já terminei os estudos”, mesmo que já tenha 100 anos.

Curiosidade é o inicio da sabedoria.

Devo ao álcool as minhas melhores e piores noites.

Na vida real os príncipes encantados são estúpidos, cheiram cocaína e só querem comer a sua buceta.

Cachorros são considerados loucos e devem ser mortos quando comem frangos, particularmente eu preferia matar todos os seres humanos no natal.

Na infinidade de minha inutilidade, gostaria de conversar...

Eu sempre escolho a garota que me fará sofrer mais no final.

Não é tomando cachaça até vomitar e dormindo na sarjeta que os jovens vão mudar o mundo... Mas pelo menos eles não ficam em casa assistindo a Globo ou lendo Veja!

Prefiro olhar pela janela a assistir televisão (menos quando sou eu quem escolhe o filme).

Os melhores perfumes são franceses porque os franceses tomam menos banho.

Queria que o amor fosse como uma equação matemática: Não precisa ser fácil, mas deveria ter lógica.

Sabe aquele aperto no peito, aquela vontade de gritar que vem do nada... Ou é problema com gases ou você esta apaixonado.

Eu acredito em utopia, Papai Noel e Coelhinho da Páscoa... Mas acreditar em Deus, na Globo e nos políticos já é exagero.

E no final sobram-nos apenas a lembrança e a história para contar.

Estou vivendo um daqueles dias de morte.

Geralmente eu ouço o diabinho.

Até a pessoa mais cuidadosa já pisou na merda um dia.

Existem algumas crianças que mentem e alguns adultos que falam a verdade.

Prefiro inimigos declarados a falsos amigos ao meu lado.

Era tão fácil dizer que eu me sentia feliz na época em que eu queria abandonar todos os meus sonhos para viver uma vida simples ao lado dela... Talvez felicidade seja isso mesmo.

Dinheiro é só um pedaço de papel que se transforma em álcool, nicotina ou THC.

Se Kurt Cobain estivesse vivo na minha frente, primeiro eu socaria o seu nariz e depois o abraçaria e agradeceria por tudo.

Viver é tudo aquilo que fazemos quando não estamos mortos.

Não quero ser escravo de um legado.

Eu sempre descubro que gostava mesmo daquela garota quando já é tarde demais.

Eu fumo porque não tenho motivos para viver nem coragem para me matar.

Quando eu morrer peça para me enterrarem descalço.

As lendas vivas da música não passam de pessoas normais em um palco gigante.

2 comentários:

  1. Poesia e Insanidade.
    Sem mais.


    :D

    ResponderExcluir
  2. Fucah, txchupátxchurutah!12:47 PM

    Adorei seu post, a começar pela cor que escolheu para o texto, como c quisesse ocultar algo...

    Ao longo da leitura, mtos pensamentos invadiram minha mente, mas talvez o mais estranho tenha sido Kurt Cobain o abraçando e cantando com o nariz quebrado, sangrando...

    enfim... xD

    Apenas não morra!
    parece insano, mas ainda tens mto o que dividir com o mundo... acredite, sempre haverá aqueles dispostos a ouvir e fazer a diferença :)

    ;****

    ResponderExcluir